Nossa história

A Federação dos Trabalhadores do Ramo Químicos da CUT do Estado de São Paulo obteve seu registro em 23 de junho de 2006, e sua primeira diretoria tomou posse em 10 de agosto de 2007. Mas a sua construção era um antigo sonho do movimento sindical combativo que, a partir da década de 1980 se expressava na Central Única dos Trabalhadores (CUT). A orientação deste movimento era não respaldar as antigas federações e confederações oficiais, pois as mesmas não correspondiam aos anseios das categorias profissionais. Assim, foram criados os departamentos nacionais e estaduais. O departamento nacional do ramo químico foi um deles e, posteriormente deu origem à Confederação Nacional do Ramo Químico (CNQ). O objetivo era unificar a campanha salarial dos sindicatos cutistas do setor.

Em 2003, os sindicatos do ramo químico do Estado de São Paulo iniciaram o debate dentro da CNQ a respeito da criação da federação, com objetivo de unificar e estruturar melhor a luta no estado. Alguns dos principais sindicatos do ramo assumiram essa proposta. Quando passou a funcionar, em 2007, Fetquim deixava de ser um sonho para se transformar em realidade. Em 30 de janeiro de 2008, a federação filiou-se à CUT e, em fevereiro de 2009, realizou seu Primeiro Congresso com o lema “Fortalecer a organização, defender direitos e avançar nas conquistas”.

A Fetquim vem se estruturando política e fisicamente. Desde sua fundação conta com sede própria. É composta por dez secretarias e abrange cerca de 185 mil trabalhadores e trabalhadoras, representando aproximadamente 60% da categoria no ramo no Estado de São Paulo. Entre seus sindicatos filiados estão os Químicos do ABC, Químicos de São Paulo, Químicos Unificados (Campinas e Osasco).