Mobilização permanente: 14 de junho, greve geral!
Mobilização permanente: 14 de junho, greve geral!

Há a proposta de liquidar com a aposentadoria especial química



Há inúmeras tarefas frente ao descalabro da quebra de direitos que está sendo perpetrada pelo governo Bolsonaro. Um governo anti-povo, entreguista, espoliador da Educação e de diversas políticas públicas. Usurpador da soberania nacional que quer simplesmente liquidar com as estatais tão necessárias à geração de empregos e manutenção de tecnologias desenvolvidas aqui no Brasil, como é o caso da Embraer, da Petrobrás ( pré-sal), e de todos os bancos estatais para fomentar o crescimento e desenvolvimento econômico. No dizer do próprio Lula, estamos diante de um governo de malucos que quer entregar o Brasil e suas riquezas.


A primeira tarefa é dar continuidade à mobilização que se iniciou em 15 e 30 de maio quando milhares de estudantes, professores dos diversos níveis de educação ( escolas públicas, universidades entre outras) se mobilizaram contra os cortes absurdos da Educação, pois Bolsonaro quer liquidá-la. Também trabalhadores químicos estavam nestas mobilizações.  


Pior é o fim da previdência social, entregando-a aos bancos privados, onde se quer  reverter a história mundial e nacional  de 140 anos do movimento social e sindical,  de que a previdência é contribuição de toda sociedade ( patrões, governo e trabalhadores).


Há a proposta de liquidar com a aposentadoria especial química.  Dia 14 de junho é a continuidade dessa luta com a greve geral, onde diversas categorias estão preparadas, entre as quais a dos químicos. O Lula Livre, é a luta contra o aprisionamento que os neoliberais querem impor com a quebra de direitos.


O acumular forças nos remete à mobilização no segundo semestre frente à Campanha Salarial, buscando sempre a luta unitária das Centrais Sindicais. A Reforma Trabalhista que aí está é um retrocesso ao século passado e não podemos deixar de forma alguma “cair a peteca”.  Daí a constância de nossa pressão junto ao Congresso Nacional, às lutas especíificas nas fábricas, e a luta geral de toda a classe trabalhadora. Não podemos esmorecer, e lutar sempre!


 


Airton Cano
Coordenador Público da Fetquim

Facebook WhatsApp